29/05/2021 às 23h56min - Atualizada em 29/05/2021 às 23h56min

No Dia Mundial Sem Tabaco, médica alerta sobre os prejuízos do cigarro para a fertilidade.

médica Sofia Andrade, especializada em reprodução humana, faz um alerta sobre o consumo de cigarro.

Por Van Carvalho
Foto: divulgação

Com a proximidade do dia 31 de maio, data na qual a Organização Mundial de Saúde – OMS comemora o Dia Mundial Sem Tabaco, a médica Sofia Andrade, especializada em reprodução humana, faz um alerta sobre o consumo de cigarro e as consequências nocivas à fertilidade. “O hábito além de estar associado a uma diminuição da fertilidade natural, influencia – de forma negativa – os resultados de tratamentos de reprodução assistida”, esclarece.

 

Nas mulheres, por exemplo, o cigarro afeta o transporte embrionário, a receptividade endometrial e a vascularização uterina. Já nos homens, o seu consumo afeta a qualidade do sêmen. Durante a gravidez o cigarro também oferece danos. “Fumantes ativas ou passivas quando engravidam também oferecem riscos à saúde do bebê. Além do risco do aborto e de gravidez ectópica, se a gestação for adiante, o feto poderá ser prejudicado”, conta Dra. Sofia Andrade.

 

E os prejuízos não param por aí: maior risco de aborto e de sofrimento fetal, comprometimento da qualidade do sêmen, associação com outros problemas de saúde (sedentarismo, hipertensão arterial e obesidade) são alguns dos muitos problemas que podem ser causados pelo consumo do tabaco quando o assunto é fertilidade.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp