Link112" target="_blank" id="publicidade20" >
25/06/2018 às 09h56min - Atualizada em 04/04/2019 às 01h12min

Gamification no processo de aprendizagem: os benefícios dessa prática

Educação é qualquer prática que modifica construtivamente a maneira como nos comportamos, pensamos e sentimos. Utilizar gamification no processo de aprendizagem pode potencializar os resultados.

DINO
http://www.dino.com.br/releases/gamification-no-processo-de-aprendizagem-os-beneficios-dessa-pratica-dino890166977131
Engage

Educação é qualquer prática que modifica construtivamente a maneira como nos comportamos, pensamos e sentimos. Utilizar gamification no processo de aprendizagem pode potencializar os resultados.

Você pode até pensar: "game? Isso é para ensinar criança, né?", mas não. Adultos estão cada vez mais se permitindo curtir os prazeres de um bom jogo digital. E por que não usar isso para aprender?

Se somos capazes de ficar horas e horas na frente de um computador, smartphone ou videogame para passar de uma fase difícil, por que não unir o prazer dos jogos com os desafios da capacitação profissional?

O objetivo deste artigo é explicar como funciona o processo de aprendizagem comum e por que utilizar o gamification para capacitar sua equipe pode ser benéfico.

O processo de aprendizagem comum
O ser humano é capaz de aprender de maneiras diferentes, devido a elementos intrínsecos e extrínsecos não apenas relacionados à idade, mas também ao nível de desenvolvimento e maturidade, personalidade, experiência, assim como fatores genéticos e ambientais.

Muitos fatores devem ser levados em consideração quando falamos no processo de aprendizagem, e eu não estou falando só daqueles ensinamentos de sala de aula.

Adultos precisam de ainda mais motivação para aprender coisas novas e, no ambiente profissional, é preciso estar sempre se atualizando.

Os métodos educacionais usados ​​atualmente são muito amplos e incluem ensino acadêmico, treinamento prático, discussão, pesquisa dirigida e aprendizado baseado em multimídia.

A tecnologia tomou frente no cenário educacional como nunca visto antes. Além disso, profissionais de todo o mundo estão se adaptando à tecnologia e aumentando a dependência dela em operações do dia a dia.

Essas observações sugerem uma forte influência da tecnologia em todos os aspectos da sociedade.

Entendendo o gamification no processo de aprendizagem
No contexto da educação, a tendência de usar elementos do jogo em contextos não relacionados a jogos, denominados gamification, ou gamificação, visa aumentar o engajamento e a motivação dos envolvidos, capturando o interesse de continuar aprendendo e influenciando o comportamento em treinamentos.

Muitas vezes os jogos não são usados em ambientes de aprendizagem por conta do baixo acesso à tecnologia adequada, da falta de experiência profissional no gamification e da resistência à mudança.

Para mudar isso, precisamos entender, de uma vez por todas, como o gamification no processo de aprendizagem pode potencializar os conhecimentos obtidos.

A gamificação na educação pode otimizar o processamento de novas informações pelo cérebro.
Isso pode ser facilitado pelos aspectos gerais das lições gamificadas, com a apresentação audiovisual, as pílulas de conhecimento apresentadas e os padrões frequentemente repetitivos.

Informações novas são facilmente perdidos em nosso cérebro a menos que sejam armazenados em nossa memória de longo prazo.

Esse armazenamento só é possível por meio de um processo em várias camadas envolvendo atenção, percepção, seleção, organização e integração de informações.

Quando uma informação entra no nosso cérebro, ela fica armazenada em nossa memória de trabalho, que pode manipular apenas uma pequena quantidade de informações de cada vez.

É por isso que você nem sempre se lembra do que almoçou no último sábado, se trancou ou não a porta de casa etc.

O cérebro processa informações na memória de curto-prazo usando dois canais — visual e auditivo. Quando a informação é apresentada usando ambos os canais, o cérebro consegue acomodar mais informações novas.

No entanto, a sobrecarga de informação pode dificultar a passagem da nova informação para a memória de longo prazo.

Portanto, pequenos pedaços de informação (como as chamadas pílulas de aprendizagem), quando apresentadas de forma organizadas, facilitam o processo de aprendizagem.

Isso permite que o cérebro integre e organize novas informações em esquemas existentes em nossa memória de longo prazo.

O gamification na educação pode melhorar a motivação e o engajamento.
Os elementos do jogo, como feedback imediato e ganhar pontos para completar os desafios com sucesso, são fortemente influentes em aumentar o engajamento dos envolvidos em participar desses jogos.

Além disso, o componente social da aprendizagem gamificada, em que os alunos jogam em grupos, leva a muitos benefícios na função cerebral.

Imagine seu time de vendas estudando de maneira gamificada novas formas de gerar negócios e ainda fazem isso em equipe.

De fato, o envolvimento social e intelectual ativa a neurotransmissão no cérebro, o que facilita o aprendizado.

Ademais, a gamificação sempre trabalha com premiações (bonificações monetárias, brindes e/ou reconhecimento perante toda a equipe), o que aumenta ainda mais a motivação dos envolvidos.

A gamificação modifica o centro de recompensa e prazer do cérebro e melhora o aprendizado.
Está bem estabelecido que os jogos, pelos quais uma pessoa ganha ou recebe feedback positivo, podem ativar os circuitos de prazer do cérebro, induzindo a liberação do neurotransmissor dopamina.

Sugere-se que os jogos educativos tenham a mesma influência, considerando seus elementos para vencer desafios ou alcançar com sucesso um objetivo.

Este prazer durante a educação gamificada resulta, assim, em uma afinidade duradoura entre o profissional e o conteúdo a ser aprendido.

Além disso, a influência dos jogos no centro de prazer tem efeitos importantes na aprendizagem, uma vez que estimulam o profissional ou o aluno a continuar jogando.

É aquela sensação de "vício" que ocorre quando encontramos um novo jogo que nos faz querer jogar o tempo todo. Se o jogo está ligado ao aprendizado, você fica viciado em aprender.

Isso ocorre porque nosso corpo libera hormônios de prazer quando entramos em contato com esse tipo de atividade.

Quando o nível de hormônios cai, nosso corpo sente a necessidade de ter aquele prazer de novo e você sente a necessidade de continuar aquela atividade.

Interessante, não é?

Estamos em um momento em que crianças e adultos passam horas a fio em jogos. Adotar o gamification no processo de aprendizagem de adultos, até certo ponto, pode ser uma iniciativa saudável para modernizar os treinamentos corporativos, acompanhando assim nova era digital.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

QUEM SERIA SEU PRESIDENTE EM 2022

50.0%
25.8%
0%
6.1%
4.5%
1.5%
0%
1.5%
0%
1.5%
1.5%
6.1%
0%
0%
1.5%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Link112" target="_blank" id="publicidade20" >
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp