Link112" target="_blank" id="publicidade20" >
09/11/2021 às 12h06min - Atualizada em 09/11/2021 às 14h00min

Nova criação da Cia Lúdica, a Professora estreia online dia 11 de novembro

O conflito na trama se desenrola quando um grave acontecimento interfere na realidade de um grupo de estudantes

SALA DA NOTÍCIA maria fernanda teixeira
Paulo Drumond
Levantar a pauta de educadores mais engajados na questão da arte como um lugar importante no desenvolvimento do ser humano é o mote do espetáculo digital A Professora, da Cia Lúdica, a estrear  dia 11 de novembro, às 21horas A criação será exibida no canal do Youtube da Lúdica: https://www.youtube.com/cialudica  com acesso liberado para qualquer horário, até o dia 30 de novembro. O dramaturgo Paulo Drumond e a diretora Marcya Harco decidiram montar o novo trabalho sobre a importância da arte na vida das pessoas depois de criarem o espetáculo imersivo A Utopia na Era da Incerteza, em 2019, no Tendal da Lapa, na zona Oeste de São Paulo.

“A inspiração para a nova peça veio dos relatos de espectadores da obra anterior, principalmente de educadoras e suas turmas de estudantes”, conta Paulo, ressaltando que as professoras vinham de ônibus com seus alunos e os estimulavam a participar. “Começamos a querer falar dessa pessoa, desse ser humano que se doa para que o outro possa ter uma vida melhor e em quanto a arte é fundamental para a formação dos indivíduos.” Como fonte de referência em sua pesquisa em busca de uma estética despojada a diretora cita o fotógrafo americano Irving Penn (1917 e 2009, “que potencializa a expressão humana em suas fotos”, de acordo com Marcya Harco) e o diretor de cinema francês Robert Bresson (1901-1999).

A narrativa gira em torno de Cícera, uma professora de educação artística de uma escola pública que também coordena um grupo de performance com algumas alunas e alunos. Cícera costuma levar a turma para participar de atividades artísticas, xtraescolares, mediando e facilitando o diálogo entre a classe, porque acredita que assim, os(as) estudantes poderão descobrir outras maneiras de sentir, indo ao encontro de novas forma de lidar com o mundo e com a realidade que os cerca, sendo capazes de discernir sobre as escolhas em suas vidas futuras.

Cícera torna-se uma confidente pessoal dos mais próximos, até que um grave acontecimento interfere na realidade do grupo, provocando riscos e ameaças a todo o seu círculo de convivência, fazendo com que a professora e sua turma tenham que tomar decisões cruciais para resolver o infortúnio. Com curta duração, pouco mais de 40 minutos, a peça tem cenário simples, um fundo infinito preto. Em cena são 10 atores, incluindo participação do autor e da diretora, que atravessa todo o espetáculo, pois faz o papel da personagem-título. Com uma estética minimalista, recorrendo à câmera única, coreografada, mesclam-se imagens das cenas entre os estudantes em suas performances artísticas e dos impasses de familiares e figuras-chave da trama, diante do enfrentamento de perigo iminente, vividos pelo grupo que envolve a professora.

SINOPSE
 
O espetáculo narra circunstâncias em torno da professora Cícera, que, junto ao seu grupo de estudantes, criou um coletivo de performance, no qual desenvolve atividades artísticas como teatro, dança e música. Por detrás do universo da arte, onde florescem os sonhos dos jovens, a busca por conhecer e transformar o mundo, o desejo de realização profissional e liberdade de viver são surpreendidos por uma condição de vulnerabilidade que gera risco de perigo ao grupo e aos seus familiares.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia / Roteiro – Paulo Drumond. Direção - Marcya Harco. Coordenação de Pesquisa Dramatúrgica – Carlos Meceni. Coordenação Geral – Marcya Harco. Projeto audiovisual - Emergência Cuadrante. Elenco: Agostinho.exe, Carlos Meceni, Cássia Carvalho, Érica Franze, Marcya Harco, Natália Camilo, Paulo Drumond, Pitter Guimarães, Victor de Seixas, Zu Aguiar. Coreografia da performance de dança (Jennifer) – Érica Franze. Texto da performance (Sofia) – Natália Camilo. Trilhas das performances (Jennifer) e (Sofia) - Agostinho.exe. Performance (Exe) – Agostinho.exe. Poesia da performance (Exe) – Paulo Drumond. Efeito visual no computador da cena (Miro) – Agostinho.exe. Produção / Assistência – Agostinho.exe, Érica Franze e Natália Camilo. Fotografia - Andy Barac. Edição - Mariana Furukawa. Captação de imagens - Michel Botto. Captação de áudio – Caíque Mendes. Finalização de áudio - Alexandre Marino / Estúdio Arranhador . Assessoria de Imprensa – Arte Plural Assessoria de Comunicação. Produção / Administração - Cia. Lúdica / Sonhos de Uma Noite Produções Artísticas. Projeto contemplado pelo Edital PROAC Expresso Lei Aldir Blanc N° 47/2020 “Prêmio por Histórico de Realização em Teatro”

Sobre a Cia Lúdica

A Cia. Lúdica é uma companhia de teatro paulistana, fundada em 1994 por Marcya Harco e Paulo Drumond. Suas obras propõem experiências que buscam propiciar múltiplas percepções sobre o teatro e outras linguagens artísticas, incitando reflexões acerca da condição humana ante a sociedade e o meio ambiente. Entre os principais prêmios e incentivos recebidos, destacam-se: ProAC 01, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa SP com o espetáculo O Cão de Kafka; 32ª Edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo com o projeto A Utopia na era da incerteza; Prêmio Mención Especial Trayectoria/Producción, na 9ª Edición del Festival Teatral de Autor (Caracas - Venezuela) com  o espetáculo La Lección;, Viagem Teatral Arte Educação SESI com o espetáculo Pedro e o Lobo; Prêmio Especial Catina Vera, no XII Encuentro Internacional de Teatro Otoño Azul (Buenos Aires/AR) e Prêmio PAC n 22 (Produção de Espetáculo Inédito de Teatro) SEC/SP com o espetáculo A Poesia Secreta de Andréia; Viagem Teatral SESI e Prêmio PAC n° 01 (Produção de Espetáculo Inédito de Teatro) SEC/SP com Deolindo e Genoveva.

Marcya Harco é diretora, atriz e arte-educadora. Co-fundadora da Cia. Lúdica, de São Paulo, onde dirige, atua e produz desde 1994. Obras: O Cão de Kafka; A Utopia na Era da Incerteza, Vegan VJ Theatre; Deolindo e Genoveva; A poesia secreta de Andréia; Pedro e o Lobo; O catador de lixo; Em busca da boneca azul e A Aula (La leçon/Ionesco). É Licenciada em Artes Cênicas e especialista em Direção Teatral. Pesquisa processos e meios expressivos híbridos no campo das artes, investigando relações entre corpo, natureza e tecnologia.

Paulo Drumond é ator, dramaturgo, diretor e escritor. Licenciado em Filosofia. Co-Fundador da Cia. Lúdica, onde desenvolve as suas dramaturgias, atuações e direções. Atuou em: O Cão de Kafka, A Utopia na Era da Incerteza, Vegan VJ Theatre; Deolindo e Genoveva, A Poesia Secreta de Andréia, A Aula, na Cia. Lúdica; Besame Mucho, de Mario Prata, dir. Roberto Lage; Minha Nossa, texto e direção de Carlos Alberto Sofredini; O Duelo, de Bernardo Santareno, dir. Roberto Vignati; Rua 10, de Néri Gomide, com dir. Fauzi Arap; A Lira Dos Vinte Anos; de Paulo César Coutinho, dir. de Silnei Siqueira; Vida De Artista, autoria e dir. Paulo César Coutinho; Romaria, de Miroel Silveira, dir. Emílio Fontana; Cordélia Brasil, de Antônio Bivar, dir. Wilma de Souza; Rosa de Luxemburgo, autoria e dir. Dulce Muniz; A Super Flor (Grupo Teatro do Sol), de Walter Quaglia, dir. Silnei Siqueira. Foi integrante do Grupo de Teatro Mambembe e fundou, juntamente com os outros integrantes do grupo, o Espaço Mambembe.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

QUEM SERIA SEU PRESIDENTE EM 2022

50.0%
28.8%
0%
5.0%
3.8%
2.5%
0%
1.2%
0%
1.2%
1.2%
5.0%
0%
0%
1.2%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp