Link112" target="_blank" id="publicidade20" >
15/06/2022 às 01h49min - Atualizada em 15/06/2022 às 01h49min

Tratamento de queimaduras ganha corpo clínico especializado no Hospital Mater Dei Salvador.

Coordenador da cirurgia plástica do novo hospital, Carlos Briglia, alerta para o risco da associação entre álcool e fogos de artifício durante as festas juninas.

Por Van Carvalho
Foto: Divulgação

Com a chegada do mês de junho, a Bahia se prepara para comemorar os festejos juninos, após dois anos de suspensão devido à pandemia da Covid-19. Durante essa época, as festas são marcadas por diversas tradições como fogos de artifícios e fogueiras que garantem diversão, mas também aumentam o risco de acidentes como queimaduras e mutilações. 

Não à toa que no mês de junho é realizada a campanha “Junho Laranja”, em comemoração ao Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, celebrado no dia 6. O objetivo é alertar e conscientizar a população sobre a importância da prevenção de acidentes com queimaduras.

Para aproveitar a maior festa popular da Bahia com segurança é preciso cautela no manuseio dos fogos de artifícios. Os artefatos podem ser extremamente perigosos para adultos e crianças, principalmente quando usados de forma inadequada. Os fogos de artifícios possuem pólvora como principal ingrediente de sua composição, material explosivo que pode causar graves lesões na pele.

Segundo o coordenador da cirurgia plástica do Hospital Mater Dei Salvador, Carlos Briglia, na Bahia, a maioria dos casos de queimaduras por fogos de artifícios em adultos ocorre por uso de espadas e rojões. “O maior número de casos de queimaduras graves está concentrado no interior do estado, onde ocorrem as tradicionais guerras de espada. Embora tenham sido proibidas em algumas cidades, elas ainda ocorrem em diversos municípios como Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Sapeaçu e Senhor do Bonfim”, afirma o especialista.

Queimaduras graves causadas por fogueiras também são muito comuns nesta época do ano. Muitos casos ocorrem durante a tentativa de acendimento inadequado com materiais altamente inflamáveis, como gasolina e querosene, ou por acidentes, como quedas dentro da fogueira. Além de queimaduras, acidentes com fogos de artifícios também podem causar mutilações, que atingem principalmente as mãos e o antebraço e podem levar a amputação dos membros.  “Este tipo de acidente ocorre com maior frequência em zona urbana, como Salvador, onde os principais fogos de artifícios utilizados são as bombas”, explica.

Carlos Briglia alerta que o uso de fogos de artifícios e manuseios de fogueiras são arriscados e nunca devem ser associados ao consumo de bebidas alcoólicas. “O que acontece com muita frequência são adultos que vão soltar fogos após beberem muito e acabam sofrendo queimaduras. Há também casos de pessoas que se acidentam por acender ou pular fogueiras embriagadas. Além disso, o adulto quando bebe demais acaba negligenciando as crianças que estão soltando fogos, e elas também acabam sendo vítimas de acidentes. Pólvora e álcool são uma mistura extremamente perigosa”, alerta.

Atenção redobrada com crianças - É preciso também ter atenção especial com o uso de fogos de artifícios pelas crianças. A prevenção é essencial e a principal recomendação é que os pais mantenham a vigilância dos filhos quando eles estiverem usando os artefatos. É importante também ficar atento à classificação dos fogos de acordo com a faixa etária indicada na hora da compra. O especialista ressalta que, nesta época do ano, além do risco de queimaduras, também ocorre aumento de conjuntivite e asma em crianças pela exposição excessiva à fumaça.

O que fazer - A queimadura é uma lesão cutânea causada por algum agente externo, como a combustão de pólvora dos fogos de artifícios. O trauma pode ser superficial, quando atinge apenas a pele, ou profunda, quando ocorrem lesões nos músculos e ossos. Em casos de acidentes com queimaduras, a orientação é lavar a lesão com água corrente fria, cobrir o local com um curativo ou pano limpo e procurar um atendimento médico imediatamente. 

Segundo o      coordenador da cirurgia plástica do Hospital Mater Dei Salvador, Carlos Briglia, queimaduras graves necessitam de tratamento especializado, pois correm o risco de infecção e até morte. “Muitas pessoas tentam tratar em casa e só procuram um médico dois, três dias depois do acidente, quando a ferida já está infectada. Queimadura arde, dói, traz sequelas, mutila, causa mancha e pode limitar os movimentos dos membros, por isso precisa ser tratada adequadamente em uma unidade de referência médica”, alerta.

O especialista ressalta que acidentes com queimaduras são um problema social e acontecem durante todo o ano. Fora do período das festas juninas, 90% das ocorrências são dentro de casa. A maioria dos casos envolve queimaduras por água fervendo e por tentativa de improvisação de fogo para cozimento de alimentos.

Hospital privado referência em queimaduras - Com larga experiência no atendimento de vítimas de queimaduras, Carlos Briglia, que foi chefe por 26 anos do serviço de queimados do Hospital Geral do Estado, primeiro hospital público da Bahia referência em atendimento de queimaduras, afirma que      a ideia é transformar o Hospital Mater Dei Salvador em um hospital privado referência para atendimento de queimados no estado.

O Hospital Mater Dei Salvador conta com infraestrutura física e tecnológica de ponta e corpo clínico formado por cirurgiões plásticos altamente capacitados e especializados em tratamento de queimaduras. O paciente vítima de queimadura receberá o primeiro atendimento com agilidade e excelência no pronto-socorro da unidade por um cirurgião plástico de plantão e será encaminhado para a internação para continuar o tratamento. 

O hospital dispõe de modernas técnicas e materiais específicos para tratamento de queimados, como o uso de coberturas cutâneas que agem como substitutos de pele e câmara hiperbárica, terapia onde o paciente inala oxigênio a 100% com o objetivo de acelerar o processo de cicatrização e diminuir o risco de infecção. “Temos estrutura e profissionais altamente capacitados para tratar qualquer paciente vítima de queimadura”, realça.

Números das incidências no Brasil

40,7% dos casos ocorreram com homens 

67,7% dos acidentes ocorrem no ambiente doméstico

52% das queimadoras acontecem em decorrência do uso de substâncias quentes

92% dos acidentes domésticos envolvem crianças e adolescentes de 0 a 15 anos *

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

 

Sobre a Rede Mater Dei de Saúde

Somos uma rede de saúde completa, com 42 anos de vida, tendo o paciente no centro de tudo e ancorada em três princípios: inteligência e humanização como pilares do atendimento; tecnologia como apoio da excelência; e solidez das governanças clínica e corporativa. Nossos serviços médico-hospitalares estão disponíveis para toda a família, em todas as fases da vida, com qualidade assistencial e profissionais altamente capacitados e especializados. Estamos em expansão, levando para mais pessoas o Jeito Mater Dei de Cuidar e de Acolher. Nossa premissa é valorizar a vida dos nossos pacientes em cada atendimento, disponibilizando o melhor que a medicina pode oferecer.

Unidades

Minas Gerais: Hospital Mater Dei Santo Agostinho, Hospital Mater Dei Contorno, Hospital Mater Dei Betim-Contagem, Hospital Santa Genoveva e CDI Imagem, Hospital Santa Clara*

Bahia: Hospital Mater Dei Salvador e Hospital EMEC

Goiás: Hospital Premium

Pará: Hospital Porto Dias


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Link112" target="_blank" id="publicidade20" >
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp