03/12/2019 às 09h35min - Atualizada em 04/12/2019 às 00h00min

Dr. Glauco Guedes, Urologista de Brasília, fala sobre reposição hormonal masculina

A reposição hormonal masculina pode contribuir com uma vida mais saudável e agradável. Dr. Glauco Guedes destaca as vantagens desse tipo de tratamento e em quais situações ele se faz necessário.

DINO
https://www.instagram.com/guedes.glauco/

O assunto é sério e importantíssimo, mas infelizmente não é um assunto muito comum entre os homens, alguns inclusive desconhecem que é possível (e muitas vezes necessário) fazer reposição hormonal. Já entre as mulheres, esse assunto é mais recorrente e discutido.

Diversos nomes são encontrados na literatura para definir a diminuição da testosterona no organismo do homem. O termo "andropausa", o qual muito provavelmente você já ouviu, não é o ideal, já que - ao contrário das mulheres quando entram na menopausa, que param de produzir os estrogênios - os homens, mesmo em idade avançada, nunca param de produzir a testosterona. O que ocorre é apenas uma diminuição na produção.

"É preciso que esse assunto seja mais explorado. Muitos homens passam anos com medo ou com vergonha de falar sobre falta de libido ou sobre má qualidade de ereções, por exemplo. Ainda existem algumas barreiras a serem ultrapassadas quando falamos de reposição hormonal masculina. Mais um motivo para falarmos desse tema. A parte positiva disso tudo, é que existe tratamento para baixa hormonal masculina. Com muita segurança, é possível repor aquilo que, por algum motivo, está em falta no organismo. Pode levar uma vida normal é muito importante. Uma vida sexual satisfatória é assunto de saúde, claro!", enfatiza Dr. Glauco Guedes, Urologista formado pela Universidade Federal de Alagoas.

Hipogonadismo, o nome cientifico e adequado, é uma doença na qual as gônadas (testículos nos homens e ovários nas mulheres) não produzem quantidades adequadas de hormônios sexuais (testosterona no caso dos homens e estrogênio no caso das mulheres). Além dos hormônios, os testículos podem não produzir espermatozoides adequadamente. Da mesma forma, os ovários podem não produzir e liberar óvulos.

Em homens adultos os sintomas mais comuns de hipogonadismo são: baixa de libido; dificuldade na ereção; redução de pelos no corpo: barba, pelos axilares e pubianos; redução da produção de esperma; dificuldade para engravidar a parceira; perda de massa muscular e ganho de gordura; falta de energia e desânimo.

Quando o hipogonadismo acontece por problemas nas gônadas, decorrentes de alguma doença, e em consequência disso passam a apresentar problemas na produção de hormônios, chamamos de hipogonadismo primário. As causas do hipogonadismo primário incluem: síndrome de Klinefelter; infecção; alguns tipos de quimioterapia, irradiação testicular; traumas testiculares; idade avançada; doença renal.
No hipogonadismo primário, os testículos não funcionam corretamente, produzindo pouco hormônio sexual.

Por outro lado, se a causa do mal funcionamento das gônadas for decorrente de um problema na hipófise (glândula endócrina, de funções múltiplas, localizada na parte inferior do cérebro), os médicos denominam como hipogonadismo secundário. As causas do hipogonadismo secundário podem incluir: hipofisárias; excesso de ferro; doenças infiltrativas hipotálamo/ hipófise; esteroides anabolizantes; abuso de álcool e cannabis sativa; doença sistêmica crônica; desnutrição; anorexia; obesidade severa, apneia do sono; insuficiência hepática, cardíaca ou pulmonar.
No hipogonadismo secundário, o hipotálamo e a hipófise, que são os locais do cérebro que controlam as gônadas, que por sua vez são os testículos que não funcionam corretamente, havendo pouca produção de hormônios sexuais.

O tratamento do hipogonadismo masculino é feito através de reposição hormonal, estimulando a produção de espermatozoides.

"Com a reposição hormonal, os homens conseguem uma vida sexual muito mais saudável. Além disso, ocorre a melhora da sensação de bem-estar e da disposição em geral. Tudo deve ser feito com acompanhamento médico especializado, obviamente, e com suporte de exames que certifiquem o diagnóstico de forma precisa. Para mais, a disciplina do paciente no decorrer do tratamento é primordial para os bons resultados", comenta o médico que já fez reposição em inúmeros pacientes - Dr. Glauco Guedes.

O Dr. Glauco Guedes atende nos seguintes locais em Brasília:
Clínica Evoluccy - Instituto de medicina:
Unidades Asa Sul - (61) 3532-5560/ 3532-5643
Unidades Asa Norte - (61) 32638100/ 3263-8051
Ele, também, atende nos Hospitais: Santa Lucia Norte, Santa Helena - Rede Dor e no Centro Médico Santa Helena.



Website: https://www.instagram.com/guedes.glauco/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

QUEM SERIA SEU PRESIDENTE EM 2022

50.0%
28.2%
0%
5.1%
3.8%
2.6%
0%
1.3%
0%
1.3%
1.3%
5.1%
0%
0%
1.3%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp