21/02/2020 às 18h19min - Atualizada em 22/02/2020 às 00h00min

Brasil completa dois anos de adesão à PrEP

O país tem um dos melhores programas de HIV/AIDS do mundo.

DINO
Dra. Rita Manzano - Infectologista e diretora médica da Gilead Sciences.

São Paulo, janeiro de 2020 – A Profilaxia Pré-Exposição, mais conhecida como PrEP, completou dois anos de adesão pelo Ministério da Saúde no final de 2019. O Brasil foi o primeiro país com amplo acesso a esse tipo de prevenção. A terapia, disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), reduz o risco de infecção pelo HIV em mais de 90%¹ a partir do uso de comprimidos 2 em 1, uma combinação de tenofovir e entricitabina. A estratégia é um reforço de proteção, mas não substitui o uso da camisinha.

A Dra. Rita Manzano Sarti, infectologista e diretora médica da Gilead Sciences, explica os efeitos do medicamento: “Em relações anais, são necessários cerca de 7 (sete) dias de uso da PrEP para se alcançar a proteção contra o HIV e aproximadamente 20 dias, em relações vaginais”².

O total de pessoas cadastradas para receber a PrEP aumentou 38% de janeiro a junho do ano passado, segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, lançado em dezembro de 2019³. Houve também uma melhora na taxa de detecção da Aids no Brasil: desde o ano de 2012, foi observada uma queda de 16,8%. Muito dessa melhora acontece pelos programas de saúde voltados à prevenção e tratamento da doença.

O foco das ações é voltado a segmentos populacionais prioritários: homens gays e outros homens que fazem sexo com homens, pessoas trans, profissionais do sexo ou pessoas que eventualmente recebam dinheiro ou benefícios em troca de serviços sexuais e, por último, pessoas sem o vírus que estejam se relacionando com uma pessoa vivendo com HIV.

Apesar dos avanços, o número de casos ainda é alarmante. De 2007 até junho de 2019 foram notificados 300.496 casos de infecção pelo HIV no Brasil, ainda de acordo com o último Boletim, com a proporção de 26 homens infectados para cada dez mulheres.

Entre os grupos que chamam atenção no aumento do HIV estão os jovens, especialmente os de 20 a 34 anos, representando 52,7% dos 17.879 casos apresentados, segundo os dados do Boletim, seguido de pessoas de 25 a 29 anos, com o percentual de 18,9%.

A comunidade médica busca formas de alcançar a eliminação da doença: “Ainda precisamos avançar muito para alinhar prazer e cuidado, além de disseminar a informação para que mais pessoas tenham acesso a essa forma de prevenção”, finaliza a infectologista.

 

Fontes:

¹ Boletim Epidemiológico de HIV/AIDS 2019

² http://www.aids.gov.br/pt-br/profissionais-de-saude/prevencao-hiv/capacitacao-em-profilaxia-pre-exposicao-prep    

³ http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/prevencao-combinada/profilaxia-pre-exposicao-prep

 

Sobre a Gilead Sciences

A Gilead Sciences é uma biofarmacêutica dedicada à pesquisa, desenvolvimento e comercialização de terapias para prevenção, tratamento e cura de doenças potencialmente fatais, como HIV/Aids, hepatites virais, entre outras. Presente no Brasil desde 2013 com sede em São Paulo, a Gilead possui operações em mais de 35 países, com matriz em Foster City, Califórnia, nos Estados Unidos.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

ONDE VOCÊ PREFERE ASSISTIR A FILMES?

63.2%
5.3%
26.3%
5.3%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp