05/01/2021 às 16h34min - Atualizada em 05/01/2021 às 17h20min

Administradora de Empresa destaca futuras tendências para o setor de RH

Mudanças no setor de RH que aconteceriam em anos de forma progressiva foram antecipadas, e as tendências futuras serão baseadas no trabalho remoto

DINO

A pandemia da Covid-19 e o isolamento social decretado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) mudaram a rotina de muitas empresas. E um dos setores que teve de se adaptar a nova realidade foi à área de Recursos Humanos – RH, segundo Robert Half, empresa global de consultoria de recursos humanos. Em um estudo formulado pela instituição, as empresas em 2021 irão precisar de profissionais de RH com postura estratégica firme e informatizada, mas sem perder o lado humano.

O ano de 2020 foi atípico e desafiador para o mercado de trabalho de acordo com a Stela de Negreiros Martins, Administradora de Empresas com ênfase em informática no sistema de gestão integrado (ERP), muitas mudanças no setor de RH que aconteceriam em anos de forma progressiva foram antecipadas, e as tendências futuras serão baseadas no trabalho remoto (prestação de serviço feita à distância). A profissional destaca a importância para tecnologias avançadas e as novas estratégias em relação ao gerenciamento de pessoas, nas quais se fizeram mais necessárias no atual cenário e se tornaram fatores essenciais para 2021. “A pandemia veio para mostrar que muitos processos podem ser desburocratizados e que a tecnologia realmente esta em nossas mãos para facilitar o dia a dia de forma segura e ágil. Todos os processos das empresas, as pequenas em especial, precisaram ser repensados para garantir a continuidade dos negócios”, explana a Stela.

A administradora explica que o fato dos funcionários serem forçados a trabalhar Home Office (escritório em casa), pressionou as empresas a investirem em sistemas tecnológicos para viabilizar o trabalho remoto com objetivo de otimizar resultados. Os procedimentos, de acordo com a profissional, já vinham se tornando cada vez mais eletrônicos com os anos, mas a pandemia acelerou a metodologia e forçou uma reestruturação para que os negócios não parassem. Como o exemplo do processo de recrutamento e seleção por meio virtual (conjunto de atividades que visa encontrar pessoas mais adequadas para preencherem as vagas disponíveis na organização).

“Com a pandemia, foi necessário desenhar um processo para ser realizado de forma 100% online, o qual foi efetivado satisfatoriamente e com certeza será propenso para o esse ano. O trabalho remoto também contribuiu muito em relação aos custos das empresas, com a redução de utilização de papel e impressora, com os processos adaptados de forma que formulários e questionários fossem preenchidos eletronicamente, assim como as assinaturas se converteram em assinaturas digitais”, diz Stela Martins, que tem forte experiência em RH com contratação, gerenciamento e análise de dados, gerenciamento de pessoas, benefícios e leis trabalhistas do Brasil e dos Estados Unidos.

Outra tendência citada é em relação à transformação digital e ao uso de novas tecnologias de softwares, desenvolvidos para área de RH. Os que ganham destaque, segundo Martins, são os gerenciamentos de dados (sistema de proteção e entrega de informações), o armazenamento nas nuvens (armazenamento de informações e documentos em um sistema online com disponibilidade para consulta por meio de uma rede, feita de qualquer lugar), a integração dos sistemas internos para evitar trabalho duplicado e erros de digitação, os serviços em que o próprio funcionário pode fazer alterações no sistema e o trabalho remoto.  

“Durante a pandemia as pessoas aprenderam a trabalhar remotamente, o que muda muita a relação da empresa com o empregado. Funcionários melhoraram seu autogerenciamento e descobriram como aproveitar melhor seu tempo. O trabalho remoto passou a ser ofertado como um benefício, ou seja, os trabalhadores não são mais conquistados somente pelos pacotes de vale refeição e plano de saúde. Toda essa transformação digital oferece grandes oportunidades como modernidade, maior rapidez de processos, maior clareza em auditorias e possibilidade de redução de custos operacionais.”, conclui Stela, com experiências desenvolvidas nas áreas de Negócios, Marketing, Finanças e Recursos Humanos.

E por último, a administradora que tem curso de Departamento Pessoal e de Analista de Recursos Humanos, destacou que outra tendência forte para 2021 são os treinamentos desenvolvidos para atender os funcionários durante o isolamento. “Essa técnica apresentou desenvolvimento e crescimento profissional dos funcionários. Foram considerados de vital importância para manter os trabalhadores engajados e motivados. Os mais aplicados e apreciados foram relacionados ao gerenciamento do tempo, adaptação da rotina de trabalho e familiar no mesmo ambiente, etiqueta para atender reuniões enquanto trabalha de casa, gerenciamento de mudanças e como gerenciar equipes à distância”, relata a profissional.

Segundo uma pesquisa da Robert Half, 67% dos trabalhadores perceberam que é possível executar as tarefas remotamente e 49% consideram que o equilíbrio entre vida profissional e pessoal melhorou sem o deslocamento para o trabalho. “Muitos negócios precisaram se reinventar e investir em tecnologias para manter suas atividades. E cursos que anteriormente eram oferecidos de forma presencial tiveram que ser desenvolvidos de forma exclusivamente online, certamente este investimento continuará a ser explorado”, finaliza Stela de Negreiros Martins.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

QUEM SERIA SEU PRESIDENTE EM 2022

50.8%
26.2%
0%
4.9%
4.9%
1.6%
0%
1.6%
0%
1.6%
1.6%
4.9%
0%
0%
1.6%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Link112" target="_blank" id="publicidade20" >
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp