20/01/2021 às 17h36min - Atualizada em 21/01/2021 às 00h00min

Indústria: 6 Dicas de Manutenção Para Sistemas Hidráulicos

Se você quer que os sistemas hidráulicos da sua indústria funcionem de maneira adequada e sem grandes problemas, confira essas dicas de manutenção!

SALA DA NOTÍCIA Bruno
 

Independentemente do tamanho ou da complexidade de um sistema hidráulico industrial, as tarefas de manutenção, por mais simples que sejam, podem ter um grande efeito no desempenho e na vida útil do sistema. 

 

Por isso, adotar algumas boas práticas de manutenção em relação ao sistema hidráulico é fundamental.

 

Dessa forma você poderá proteger o sistema de danos, garantir longevidade e desempenho ideal dele e ainda economizar em custos de reparo ou substituição.

 

Sendo assim, confira no artigo de hoje algumas dicas essenciais sobre manutenção de sistemas hidráulicos e caso tenha alguma informação para acrescentar, não deixe de usar o espaço ao final do artigo.

 

Tenha uma boa leitura!

Dicas de manutenção para sistemas hidráulicos

 

A falta de manutenção dos sistemas hidráulicos é a principal causa de falha de componentes e sistemas.

 

A base básica para realizar a manutenção adequada em um sistema hidráulico tem, basicamente, duas áreas de preocupação. 

 

A primeira área é a manutenção preventiva, que é a chave para o sucesso de qualquer programa de manutenção, seja em hidráulica ou em qualquer equipamento que necessite de confiabilidade. 

 

Já a segunda área é a manutenção corretiva, que em muitos casos pode causar falha adicional do componente hidráulico quando não executada de acordo com o padrão.

 

Sendo assim, veja a seguir as principais dicas de manutenção para sistemas hidráulicos.

1. Verifique os indicadores de filtro 

 

Os indicadores  de filtro monitoram a quantidade de contaminação capturada por um filtro. 

 

Assim que um indicador mostrar que um filtro atingiu sua capacidade máxima permitida de retenção de contaminação, esse filtro precisa ser substituído. 

 

Se não for verificado, o filtro pode começar a desviar o fluido (se equipado com uma válvula de desvio) e não protegerá mais o sistema contra contaminação. 

 

Por isso, verifique os indicadores com óleo frio na inicialização para um aviso de avanço ou para verificar se um indicador de estilo de medidor está funcionando corretamente.

2. Meça a temperatura

 

A temperatura tem um grande efeito na viscosidade do óleo e, se a viscosidade do óleo estiver fora da faixa de trabalho dos componentes do sistema, ela pode reduzir drasticamente a vida útil do sistema. 

 

Por exemplo, a baixa viscosidade reduz a espessura do filme entre os componentes móveis, causando desgaste. 

 

Já a alta viscosidade pode causar queda excessiva de pressão nas linhas de sucção, levando à cavitação. 

 

A temperatura do reservatório geralmente difere da temperatura real do óleo de trabalho. Neste caso, um termômetro sem contato pode ser usado nas linhas de trabalho.

 

Jamais toque em componentes que suspeite estarem quentes, pois isso pode causar queimaduras graves.

3. Verifique tubos, conexões e mangueiras do sistema

 

 

Se as mangueiras estiverem presas, dobradas, desgastadas, esticadas ou danificadas de outra forma, elas podem restringir o fluxo de fluido ou causar vazamentos de pressão. 

 

A maioria desses problemas são visíveis do lado de fora, mas você também terá que observar os problemas que podem indicar desgaste interno que pode obstruir uma mangueira.

 

Além disso, é importante verificar também os tubos, acessórios e acopladores. Procure por amassados ​​ou corrosão nos tubos.

 

As conexões devem ser ajustadas, mas não excessivamente apertadas, e os acopladores devem permanecer limpos para evitar contaminação.

 

Além do consumo excessivo de óleo, os vazamentos também podem causar superaquecimento e graves riscos ambientais e de segurança. 

 

Estes podem ser difíceis de limpar e perigosos para os funcionários, portanto, preste atenção aos sinais de prevenção de vazamentos.

4. Preocupe-se com a limpeza

 

É de grande importância manter os sistemas hidráulicos limpos. Não apenas todas as aberturas do reservatório devem ser vedadas após a limpeza, mas não deve haver operações de soldagem ou retificação realizadas na área onde os componentes hidráulicos estão sendo usados.

 

Mesmo que a sujeira na parte externa do seu equipamento seja inofensiva, a contaminação pode entrar no seu sistema quando os componentes hidráulicos são desconectados para manutenção ou relocação, quando os elementos do filtro são trocados ou quando o óleo é adicionado.

 

Quando um cilindro se retrai, a contaminação na haste também pode entrar no sistema sob a vedação do limpador.

 

Por isso, fazer uma boa limpeza periodicamente reduzirá as oportunidades de contaminação para entrar no sistema, mantendo-o confiável e eficiente.

5. Analise o óleo (amostragem)

 

A contaminação é responsável pela maioria dos problemas encontrados nesses sistemas, pois pode causar bloqueios e acelerar o desgaste em todos os componentes hidráulicos. 

 

Por isso, verificar o óleo e testá-lo para contaminação por partículas sólidas, água e outros constituintes indesejáveis ​​pode evitar a necessidade de reparos hidráulicos no futuro. 

 

As amostras devem ser retiradas de um ponto de amostra designado para garantir a consistência entre as medições, idealmente de um ponto de teste em uma linha de retorno ativa. 

 

A amostragem de um dreno de reservatório ou outra fonte estagnada resultará em leituras imprecisas.

 

A análise de óleo é uma excelente ferramenta de manutenção preventiva para monitorar e rastrear os níveis de contaminação de partículas e água de seu fluido hidráulico, além de rastrear o conteúdo de aditivo e a vida útil restante do óleo.

 

Para verificar a qualidade do seu fluido, pegue uma pequena amostra e inspecione-a. Faça uma rápida inspeção visual quanto a anormalidades de cor e contaminantes visíveis. Você também pode verificar se há odores incomuns.

 

A realização de um teste de contaminação pode oferecer uma revisão mais precisa das qualidades do fluido. Ele oferece resultados detalhados para contaminação por partículas, contaminação da água, viscosidade, acidez e sinais de superaquecimento.

6. Verifique as condições da haste

 

Inspecione visualmente a haste quanto a desgaste, como corrosão e corrosão. 

 

Esses problemas podem levar à umidade dentro do fluido, o que se forma e pode causar muitos problemas para o sistema hidráulico, como aumento do desgaste e lubrificação inadequada.

 

Seguindo essas dicas sobre manutenção do sistema hidráulico, você pode garantir o desempenho confiável do seu sistema por muitos e muitos anos.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

QUEM SERIA SEU PRESIDENTE EM 2022

52.5%
23.7%
0%
5.1%
5.1%
1.7%
0%
1.7%
0%
1.7%
1.7%
5.1%
0%
0%
1.7%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp